Pesquisa: 80 milhões de brasileiros têm problemas de saúde bucal

IBGE: apenas 53% dos brasileiros têm o hábito de escovar os dentes 2 vezes por dia, além de usarem o fio dental

Manaus – Hora de buscar as causas dessa situação e buscar soluções para tentar resolver ou ao menos, atenuar o problema. Nem todos têm acesso a plano dental e o serviço público de saúde bucal pode ter defasagens, por isso é importante compreender a situação para reduzir esses números com informação preventiva e compartilhando as soluções.

(Foto: Depositphotos)

Nos últimos anos, devido a pandemia, a perda de dentição e fraturas dentárias da população brasileira aumentaram muito, principalmente entre pessoas que não possuem nenhum plano dental. Segundo um artigo publicado pelo respeitável jornal The New York Times, muitos sobreviventes do vírus da Covid-19 vem tendo como sequela, a perda dos dentes, inclusive sem nenhum sangramento. Gengivas mais sensíveis e dentes fracos também são outras queixas dos pacientes.

Saúde bucal na pandemia

O estresse e ansiedade da pandemia também ajudaram a piorar a saúde bucal dos brasileiros. Nesse contexto, transtornos como o bruxismo tiveram certo aumento e atualmente, de acordo com a OMS, cerca de 80 milhões de brasileiros já sofrem com essa condição.

Além do estresse e ansiedade, a vida corrida do dia a dia também costuma afetar a saúde bucal dos brasileiros. Segundo dados obtidos pelo IBGE, apenas 53% dos brasileiros escovam os dentes 2 vezes por dia, além de usarem o fio dental regularmente. A outra parte se limita a não escovar ou escovam os dentes apenas uma vez por dia, sem uso do fio dental, o que colabora para o aumento da cárie, que também é uma das principais causas da perda dentária a longo prazo.

No caso das mulheres, o problema pode ser ainda pior, principalmente entre as grávidas. Segundo o site da Abril, a gestação pode aumentar o risco de aumento da cárie e doenças como gengivite, devido às variações hormonais que ocorrem no corpo da mulher durante os nove meses de gestação. Mas o mais grave é que problemas na gengiva podem aumentar o risco de parto prematuro. Aliás, esse é um dos motivos pelos quais é importante que as grávidas sejam acompanhadas também por um dentista ao longo da gravidez.

Plano dental X SUS

Por outro lado, a falta de acesso da população de baixa renda a dentistas, também é outro fator relevante para a perda dentária total. Com a crise econômica, ficou mais difícil tentar pagar um plano dental ou uma consulta ao dentista para si mesmo e os demais membros da família. Contudo, alguns buscam como alternativa o SUS, que oferece alguns tipos de tratamentos gratuitos para cuidar da saúde bucal como limpeza ou arrancar um dente, por exemplo. Aliás, segundo a coordenação de saúde bucal do Ministério da Saúde, cerca de 40 milhões de atendimentos bucais são realizados todos os anos pelo SUS.

Todavia, esse número não chega nem perto dos atendimentos feitos na rede privada. Nesse contexto, as operadoras de saúde privadas realizam quase 190 milhões de atendimentos todos os anos, número absurdamente maior que o SUS. Na rede privada, os pacientes costumam ter acesso a mais tecnologia e tratamentos mais efetivos, o que colabora para um resultado melhor nos tratamentos dentários. Ademais, durante as consultas os pacientes são ensinados a cuidar dos dentes da maneira certa, o que ajuda na melhora da higiene bucal.

Apesar do plano dental ser pago, hoje em dia muitas operadoras de planos de saúde estão oferecendo preços mais baratos, a fim de encaixar pessoas com menor renda nesses pacotes. Ademais, vale ressaltar que outra causa da perda dentária parcial ou total são doenças como gengivite, periodontite, cárie, além da já citada má higiene e bruxismo.

Outrossim, além do problema estético e de autoestima, a perda e falta dos dentes pode causar outros problemas que podem incomodar muito no dia a dia, como dor de cabeça, no pescoço, na mandíbula, nas costas e no ouvido. Por isso, se torna ainda mais importante evitar ou pelo menos, tratar os casos de perda dentária.

O que fazer quando se perde os dentes

Dessa forma, caso você perca algum dente, o ideal segundo os especialistas é procurar um dentista imediatamente, levando o dente perdido se você puder. Na clínica dentária, o dentista poderá tentar recuperar o dente perdido ou substituí-lo por outro para melhorar o aspecto estético e a qualidade de vida do paciente. Aliás, vale lembrar que a falta dos dentes também pode atrapalhar a mastigação.

No entanto, esse problema não se limita apenas a estética ou mastigação. Doenças cardíacas, problemas de circulação e inflamações também podem ser provocadas pela perda de dentes e, costuma prejudicar ainda mais a saúde dos brasileiros.

Apesar da alta demanda de profissionais da área bucal em cada canto do país, muitos brasileiros ainda vivem sem acesso a nenhum tipo de cuidado bucal. Afinal, o pobre muitas vezes não tem como escolher entre consultar um dentista e colocar comida na mesa.

Portanto, é ainda mais importante que as clínicas dentárias continuem barateando os planos dentais, para que pessoas de baixa renda também possam ter acesso a esse tipo de cuidado tão essencial na vida de qualquer ser humano.

Como cuidar dos dentes

No dia a dia, você também pode e deve fazer a sua parte para manter os cuidados bucais em dia. Procure escovar os dentes pelo menos 3 vezes por dia com creme dental que tenha flúor. Use fio dental regularmente e tenha uma alimentação saudável, com frutas, verduras e legumes, além de beber bastante água no dia a dia.

Outrossim, desde cedo você deve ensinar seus filhos a cuidar dos dentes, escovando-os da maneira correta e sem usar muita força. Dessa forma, você também pode ajudar a manter a saúde bucal sempre em dia.

Por fim, o acompanhamento de um dentista é essencial e por isso, adquirir um bom plano dental se torna ainda mais importante para se cuidar ao longo de toda a vida. Aliás, o recomendado é visitar o dentista regularmente, pelo menos a cada 6 meses para manter a saúde bucal em dia.

Dessa forma, a perda total ou parcial dos dentes poderá se tornar uma realidade cada vez menos presente na vida dos brasileiros.

Anúncio