Pesquisa indica que 85,6% dos empreendedores relataram sofrer ansiedade

Foram consultados 118 líderes de startups e scale-ups

Manaus – A Endeavor Brasil realizou o estudo inédito Saúde e Performance de Pessoas Empreendedoras, em colaboração com o BID Lab, que mostra as dificuldades enfrentadas por empresários no Brasil em relação à saúde mental. Foram consultados 118 líderes de startups e scale-ups (empresas que aumentam a taxa de faturamento na faixa mínima de 20% em doze meses, ao longo de três anos seguidos).

(Foto: Freepik)

De acordo com o levantamento publicado recentemente, 91% dos empreendedores pesquisados conhecem alguma pessoa empreendedora que enfrentou desafios de saúde mental em sua jornada – além disso, 56% consideram a rotina de trabalho estressante ou muito estressante.

“Empreender já é um desafio e, nessa jornada, caminham juntos o medo e o desejo. Tratando-se da saúde mental de quem vive essa realidade, inicialmente, uma das maiores dificuldades consiste na sustentação dessa escolha que gera instabilidade emocional. São muitas demandas sociais e culturais exigidas de um empreendedor”, avalia Karine Pithon, psicóloga, psicanalista e empreendedora.

A pesquisa da Endeavor também apresenta um panorama sobre as condições adversas percebidas durante a trajetória empresarial, com destaque para ansiedade, burnout, depressão e ataque de pânico.

O estudo aponta que 94,1% dos empreendedores participantes relataram ter vivido pelo menos uma condição adversa ao longo da trajetória – sendo a ansiedade a mais frequente, com 85,6%, enquanto 77,1% tiveram pelo menos duas condições e 38,1%, pelo menos três condições.

“O desejo desenfreado em torno do sucesso e o medo paralisante de fracassar levam a esse lugar competitivo. O excesso de trabalho e a busca pelo poder enfraquecem a mente humana e alimentam o ego. Nesse sentido, também é possível olhar em direção à falta de confiança e segurança em si mesmo, o que abre espaço para autossabotagem e procrastinação das responsabilidades”, acrescenta Karine Pithon.

Equilíbrio entre corpo e mente

Empreendedor com vasta experiência na gestão de negócios, Marlon Freitas, fundador e CMO da Agilize Contabilidade Online, considera essencial a busca da integração entre saúde física e mental quando se fala de melhorar a performance nos negócios.

“Uma ferramenta muito importante que me ajuda no empreendedorismo é a filosofia, que representa um trabalho de autoconhecimento e a tentativa de me tornar uma pessoa melhor. Além disso, faço atividade física todos os dias, como musculação e corrida”, revela.

Essa visão é compartilhada com a psicóloga e psicanalista Karine Pithon, que enfatiza a relação próxima entre as questões físicas e mentais. “Não tem como desassociar mente e corpo. Ambos precisam estar alinhados para que o empreendedor consiga ser criativo e produtivo”, ressalta.

Marlon Freitas comenta o desafio de liderar equipes na administração da companhia. “Para manter o bem-estar e diminuir o estresse, devemos colocar a consciência no patamar mais alto que podemos alcançar. Tenho um time de 40 pessoas e preciso oferecer o melhor para que os colaboradores sejam melhores”, acrescenta o CMO da Agilize.

Um ponto fundamental para a tranquilidade do empresário consiste na escolha correta dos prestadores de serviço, que exercem o papel de garantir a segurança nas atividades rotineiras da companhia.

Estratégias para o bem-estar

Segundo a psicóloga e psicanalista Karine Pithon, a busca por um profissional da saúde mental deve surgir quando o empreendedor é uma extensão do seu trabalho, não se reconhece fora do ambiente profissional e não consegue ter uma vida pessoal.

Ainda de acordo com ela, quando o empresário desenvolve as aptidões pessoais e desconstrói as crenças limitantes, a autoconfiança domina a cena. Nessa lógica, o empreendedor estará estrategicamente voltado para si e não para o concorrente.

“É importante que o empreendedor tenha um percurso na sua terapia, tendo em vista o processo de autoconhecimento e acolhimento. Com isso, fica mais fácil estabelecer uma rotina de autocuidado por meio de um planejamento estratégico, sabendo separar as demandas de trabalho dos momentos de lazer na vida pessoal”, pontua.

Confira as dicas para alcançar o equilíbrio e o bem-estar dos empreendedores:

– Alimentar-se bem: a nutrição adequada ajuda a manter o bom funcionamento do organismo, melhora a qualidade de vida e auxilia a prevenir doenças, entre outros benefícios.

– Respeitar o descanso: o repouso fortalece o sistema imunológico e pode acrescentar anos à vida; sem dormir o suficiente, a reserva energética fica comprometida.

– Dormir a quantidade de horas necessárias: repor as energias é fundamental para que o empresário esteja apto a enfrentar a jornada com criatividade e atenção às tarefas cotidianas.

– Fazer atividade física: os exercícios também estão ligados à prevenção de doenças, como hipertensão e diabetes, além da melhora na qualidade de vida.

– Beber água: a prática constante ajuda na hidratação, no transporte nutrientes até as células e na eliminação de toxinas do corpo através do suor e da urina.

Sem saúde, seja física ou mental, empreendedores em algum momento terão que reduzir o ritmo ou até pausar o trabalho. Para evitar que cheguem a esse ponto, dentro das possibilidades de cada empreendedor, seguir essas dicas de autocuidado é sempre o melhor a ser feito.

Anúncio