Pessoas que tiveram contato com infectado por Covid-19 são monitoradas

Governos federal e de São Paulo monitoram 34 pessoas

São Paulo – As 34 pessoas que tiveram contato mais próximo com o brasileiro que está infectado por coronavírus estão sendo monitoradas mais de perto pelos governos de São Paulo e pelo governo federal. Desse total, 30 pessoas são parentes que estiveram almoçando na casa do paciente na capital paulista no domingo (23), entre eles, duas crianças que são netas dele. As outras quatro são pessoas que estiveram próximas dele no voo que ele fez da Itália para o Brasil na última sexta-feira (21).

“Seguimos protocolos internacionais da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde. Os familiares já foram todos contatados e a orientação é para que estejam atentos aos sintomas e, quando tiverem sintomas, eles devem procurar um serviço de saúde. Também falamos para que eles evitem aglomerações. O homem está em isolamento domiciliar. Ele usa máscara e existe um protocolo para eliminação de resíduos domiciliares (lixo). Estão todos eles orientados. E os quatro pacientes do contato no voo [que estavam na mesma área que ele], foram todos orientados”, disse nesta quarta-feira (26) a coordenadora de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo, Solange Saboia.

Nenhuma das pessoas que tiveram contato com o brasileiro contaminado, chamadas de contactantes, apresentaram sintomas (Foto: Reuters)

De acordo com a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde, Helena Sato, a esposa do homem que teve o caso confirmado para coronavírus está vivendo na mesma casa que ele, mas em ambiente separado. Toda a louça que ele utiliza é separada somente para ele. A esposa não apresenta sintomas da doença.

Nenhuma das pessoas que tiveram contato com o contaminado, chamadas de contactantes, apresentaram sintomas. Por isso elas não precisam estar em quarentena, segundo os protocolos que são seguidos mundialmente. Elas são apenas orientadas sobre os sintomas, procedimentos adequados e riscos.

Casos suspeitos

Segundo a Secretaria Estadual de São Paulo, há 11 casos suspeitos de coronavírus no Estado que estão sendo analisados, sendo nove deles na capital, um em Lorena e outro em São Roque. Além de apresentar os sintomas respiratórios característicos da doença, essas pessoas têm histórico de viagem, sendo que um deles passou pela China e nove pela Itália, países onde foram registrados casos locais de transmissão do Covid-19. Um dos casos é de uma pessoa que teve contato com um caso suspeito.

Em entrevista na tarde desta quarta-feira, em São Paulo, o secretário executivo da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, Alberto Kanamura, disse que o único caso confirmado no estado até o momento é o desse homem de 61 anos, que esteve na Itália a trabalho e que mora na capital. Ele está em isolamento, em sua residência e seu estado de saúde é bom.