Queimaduras após o uso de álcool em gel crescem durante pandemia

Dermatologista alerta para o risco de acidentes e como tratar os ferimentos corretamente

Manaus – Desde o ano passado, com o início da pandemia do novo coronavírus, o uso incorreto do álcool líquido em maiores concentrações e do álcool em gel fez aumentar a quantidade de casos de queimaduras em diferentes graus nas unidades de saúde de todo o país. Dados da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), mostra que houve um crescimento 3 vezes do número de acidentes envolvendo o uso de álcool.

(Foto: Divulgação / Assessoria)

Apesar de ser eficiente na higiene e no combate ao coronavírus, o álcool 70 é altamente inflamável, ou seja, pega fogo facilmente. No caso do álcool em gel, o perigo é ainda maior: o fogo inicial é quase invisível.

A dermatologista Marcela Vidal alerta para o risco de queimaduras no uso incorreto do álcool gel e, também, para o uso indevido de produtos caseiros na hora de sofrer queimaduras na pele. “Principalmente, agora que estamos usando álcool em gel, temos que tomar cuidado, pois ele se espalha mais rápido na pele. Muitos pacientes quando sofrem queimaduras, acabam utilizando produtos caseiros como manteiga, pasta de dente, e nós não recomendamos a utilização desses produtos”, destaca.

A médica ainda orienta qual procedimento mais correto, para ajudar o paciente nesse momento. “O ideal é lavar a área afetada com água, de preferência gelada, e de forma abundante, para abaixar a temperatura da pele lesionada. Pode passar um creme cicatrizante, como a sulfadiazina de prata, que tem o poder antibacteriano, e se caso necessário surgirem bolhas dolorosas, procure imediatamente um dermatologista. Não tente romper a bolha, em casa. Caso seja preciso ser feito, que seja por um profissional que tenha todos os cuidados com a limpeza da ferida”, finaliza.

O álcool gel 70% tem sido um dos produtos mais utilizados pela população como ferramenta na prevenção contra o coronavírus. Uma vez que utilizado corretamente, o produto auxilia na higienização das mãos e consequente eliminação do patógeno. Este, porém, tem sido um ponto de atenção entre os especialistas.

O uso de fogo após a manipulação do álcool gel pode resultar em queimaduras corporais graves, tendo em vista que ele é altamente volátil e inflamável, e possibilita que o fogo se propague com certa facilidade.

Além disso, como grande parte da população está em casa, incluindo crianças e idosos, o risco deste tipo de acidente pode crescer ainda mais como consequência do manejo de itens domésticos, equipamentos elétricos e fogão.

Confira abaixo algumas medidas para a prevenção contra queimaduras:

· Em casa dê preferência por higienizar as mãos com água e sabão;
· Mantenha as crianças longe da cozinha;
· Evite manipular fogo logo após o uso do álcool em gel;
· Não use álcool para acender churrasqueiras;
· Deixe sempre o cabo das panelas para dentro fogão, priorize utilizar as bocas do fundo;
· Não deixe fios desencapados expostos e tenha cuidado especial com tomadas.

Em caso de queimadura, enxágue a área afetada com água corrente fria e não aplique nenhum produto no local. Assim que possível, busque atendimento médico o mais rápido possível. Alguns sintomas não podem esperar.

Anúncio