Saiba por que a má digestão é tão comum e como evitá-la

Problemas na digestão afetam a qualidade de vida de muitos brasileiros

São Paulo – A má digestão é um dos desconfortos que praticamente todas as pessoas já tiveram ou terão algum dia. Segundo levantamento da Federação Brasileira de Gastroenterologia, 48% dos brasileiros reclamam de azia, refluxo ou tosse seca. A pesquisa descobriu ainda que as mulheres jovens são as mais afetadas por essas sensações que comprometem a qualidade de vida. Além dos hábitos, o que inclui o tipo de alimentação, fatores como estresse são os grandes vilões da digestão.

(Foto: Pixbay)

Principais causas e tratamentos da má digestão

A má digestão é causada por tudo aquilo que prejudica o alimento de se movimentar adequadamente pelo sistema digestivo. As carnes e as gorduras, por exemplo, demoram mais para serem digeridas pelo estômago. Por isso, elas fazem com que o órgão fique sobrecarregado por mais tempo — gerando desconforto. Esses são apenas alguns dos alimentos que causam má digestão.

Outro fator que pode desencadear a má digestão é a ingestão rápida das refeições. Muitas pessoas, por conta da correria do dia dia, não param para se alimentar corretamente. Em vez disso, elas comem com pressa e mal mastigam os alimentos. Dessa forma, os alimentos chegam maiores do que deveriam no canal digestivo, exigindo um esforço maior para que sejam decompostos.

Além do mais, beber durante as refeições é outro hábito que não faz bem para a digestão. Isso ocorre porque os líquidos geram uma distensão na parede do abdômen, o que dá uma falsa sensação de que ainda cabe mais alimentos.

Por ser algo comum, e poucas vezes grave, a má digestão pode ser resolvida com antiácidos, como o leite de magnésia. O composto pode ser encontrado entre as ofertas do Extra, do Carrefour e de outras redes, e não requer receita.

No entanto, se o problema persistir, é necessário consultar um médico. A gastrite, por exemplo, requer um tratamento específico para que não se torne uma úlcera. Então, é importante tomar cuidado.

blank

(Foto: Pexels)

Como evitar a má digestão

A melhor forma de evitar a má digestão é por meio da adoção de hábitos saudáveis. Na hora das refeições, por exemplo, o recomendável é mastigar sem pressa os alimentos, para que as enzimas que facilitam a digestão sejam liberadas. No caso das bebidas, é preferível evitá-las, principalmente das gaseificadas, pois são as que mais prejudicam a decomposição dos alimentos. O ideal é que o consumo de líquidos só seja feito meia hora depois das refeições.

Comer a cada três horas em média é outra atitude eficaz para diminuir a acidez estomacal. Isso porque o estômago está sempre produzindo ácido gástrico e, quando não há alimentos, essa substância se acumula e pode irritar o final do esôfago.

O estresse também tem sido apontado como prejudicial para o sistema digestivo. Quando a pessoa está muito estressada, todo o organismo desregula, o que inclui um aumento de adrenalina e cortisol no sangue — substâncias que só deveriam ser liberadas em situações de extremo perigo. Essas mudanças fazem com que a acidez do estômago aumente, gerando azia, má digestão e, em casos graves, úlcera.

Embora a má digestão seja bastante comum e afete metade dos brasileiros, ela requer atenção. Até porque, como visto, ela pode ser evitada com atitudes simples — por exemplo, evitar consumo de líquidos nas refeições e determinados alimentos. Ainda que seja difícil mudar os hábitos, vale a pena adotar novos comportamentos para viver com maior qualidade de vida.

Anúncio