Surto: casos de Doença de Chagas são confirmados em Ipixuna, no AM

Segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), os casos são de pessoas da mesma família, que consumiram açaí

Manaus – A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) investiga a ocorrência de Doença de Chagas em Ipixuna (a 1.367 quilômetros a sudoeste de Manaus), após receber notificação de três casos confirmados da doença no município. Uma equipe de técnicos da FVS-AM e da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) segue, na manhã deste sábado (10), a Ipixuna, para investigar os casos, que são um alerta de início de surto.

Os casos são de pessoas do sexo masculino e com parentesco: uma criança, de 10 anos, e homens, de 25 e 47 anos. As três pessoas consumiram açaí de fabricação própria. Eles moram na Comunidade Igarapé Porto Rico, na zona rural de Ipixuna. As amostras dos exames, que comprovam a contaminação pelo parasita Trypanossoma cruzi, principal transmissor da Doença de Chagas, foram processadas pela gerência municipal de endemias. O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen/FVS).

O diagnóstico dos casos de Doença de Chagas em Ipixuna foi confirmado pelo Lacen/FVS (Foto: Eduardo Prado / FVS-AM)

De acordo com o diretor-presidente da FVS-AM, Cristiano Fernandes, a equipe segue para investigar a ocorrência dos casos, coordenar a condução dos pacientes e fazer orientação sanitária para produtores locais de açaí do município. “Estamos enviando a equipe, em um voo viabilizado pela Casa Militar do Estado, para investigar o surto e fazer orientações sobre boas práticas de manipulação de alimento com os produtores de açaí para evitar futuros surtos”, destacou Cristiano.

Surto

Segundo o chefe do Departamento de Vigilância Ambiental e Controle Vetorial (DVA- FVS), Elder Figueira, mesmo sendo três casos de pessoas contaminadas, a situação epidemiológica em Ipixuna já é considerada surto.

“Quando não há transmissão da doença e quando há transmissão de casos, mesmo sendo apenas um isolado, já pode iniciar um surto. Já são três casos e é um alerta importante de que está ocorrendo uma transmissão e que deve ser bloqueada o mais rápido possível”, explicou.

Chagas

Os riscos de contaminação de alimentos por parasita Trypanossoma cruzi, principal transmissor da Doença de Chagas, incluem, principalmente, na hora da compra, preparação, conservação e consumo de alimentos. No Amazonas, a principal forma de transmissão da doença se dá por meio de ingestão de suco de açaí contaminado.

É preciso observar as condições de higiene dos manipuladores do fruto, do local de venda. Além do açaí, outros alimentos também podem estar envolvidos na transmissão oral do parasita, como frutas e vegetais; respectivas preparações, como suco de cana de açúcar, buriti e bacaba; além de carne crua, sangue de mamíferos silvestres e leite cru.

Anúncio