Tecnologia detecta veias de pacientes reduzindo a dor em procedimentos

Equipamento inovador permite a visualização de veias do paciente momentos antes da punção ou da coleta de material para análise. O ‘VeinViewer’, tecnologia norte americana, foi trazido pelo Hospital Samel

Com informações da assessoria / redacao@diarioam.com.br

VeinViewer utiliza uma luz infravermelha e outras tecnologias patenteadas para detectar sangue subcutâneo (abaixo da pele) (Foto: Divulgação)

Manaus já tem disponível um equipamento inovador que permite a visualização de veias do paciente momentos antes da punção ou da coleta de material para análise. Trata-se do VeinViewer, tecnologia norte americana, trazida pelo Hospital Samel, que tem grande eficácia para a equipe de enfermagem e torna o processo mais rápido e menos doloroso para o paciente. Atualmente, 75% dos melhores hospitais dos Estados Unidos utilizam o aparelho, garantindo que seus pacientes recebam os cuidados indicados, conforme informações da assessoria de comunicação do hospital.

Com o VeinViewer é possível confirmar o diâmetro dos vasos, auxiliar o acesso vascular, detectar hematomas em formação e potencialmente evitar infiltrações. O equipamento também aumenta as chances de sucesso na realização da primeira punção aumentando a satisfação do paciente em 100% e reduzindo a necessidade de PICCs (Cateter Venoso Central de Inserção Periférica de Longa Permanência) desnecessários em até 30%.

“Através dessa tecnologia de visualização podemos melhorar as taxas de sucesso, diminuir tentativas malsucedidas e elevar a satisfação do paciente”, explicou o diretor-presidente do Hospital Samel, Luís Alberto Nicolau.

O uso do equipamento permite mais conforto no momento da coleta de sangue ou na hora de serem medicados, ocasionando menos dor e tornando o processo mais seguro, pois, quantos menos o paciente for picado, menores são as chances de contrair infecções.

Como funciona

VeinViewer utiliza uma luz infravermelha (NIR) e outras tecnologias patenteadas para detectar sangue subcutâneo (abaixo da pele) e cria uma imagem digital superficial da veia do paciente projetada diretamente sobre a superfície da pele e em tempo real.

Com esta tecnologia, é possível visualizar e avaliar veias, válvulas e bifurcações com até 10 mm de profundidade. Além de facilitar a vida do profissional, diminui o desconforto do paciente com as agulhas, evitando deixar a região machucada.