Vacina de Oxford reduz em 94% risco de hospitalização, diz estudo

O mesmo estudo mostrou que o imunizante da Pfizer reduziu o risco em 85% após a primeira dose

São Paulo – Um estudo realizado pela Public Health Scotland e a Universidades de Edimburgo, na Escócia, mostrou que a vacina de Oxford reduziu em 94% o risco de hospitalização por Covid-19 após quatro semanas da primeira dose aplicada. Já o imunizante da Pfizer reduziu 85%, segundo o mesmo estudo.

Entre os idosos com mais de 80 anos a redução no risco foi de 81% quando os resultados das duas vacinas foram combinados. Os dados da pesquisa foram recolhidos entre 8 de dezembro e 15 de fevereiro, período em que 21% da população escocesa já havia recebido a primeira dose dos imunizantes, cerca de 1,14 milhão de vacinas.

Anvisa concedeu o registro definitivo à vacina da Pfizer, no entanto ainda não há doses disponíveis no País (Foto: Tânia Rego / Agência Brasil)

A vacina de Oxford, desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, é um dos imunizantes que estão sendo utilizados na vacinação no Brasil por meio de uso emergencial. No último dia 23, a  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu o registro definitivo à vacina da Pfizer, no entanto ainda não há doses disponíveis no País.

“Esses resultados são importantes à medida que passamos da expectativa para a evidência firme do benefício das vacinas”, disse Jim McMenamin, diretor Nacional de incidentes C ovid-19 da Public Health Scotland, por meio de nota divulgada no último dia 22. Os cientistas compararam os resultados daqueles que receberam a primeira dose dos imunizantes com os que não receberam. O estudo foi publicado no site da UK Research and Innovation.

O professor Aziz Sheikh, pesquisador principal e diretor do Instituto Usher da Universidade de Edimburgo, afirmou, também por meio do comunicado, que agora a primeira dose da vacina precisa ser “acelerada globalmente para ajudar a superar essa doença terrível”.

“Esses resultados são muito encorajadores e nos deram grandes razões para sermos otimistas para o futuro. Agora temos evidências nacionais – em um país inteiro – de que a vacinação oferece proteção contra hospitalizações por Covid-19”, disse Sheikh.

Anúncio