Golpes relacionados às Olimpíadas já circulam na internet; veja como evitar

O começo dos Jogos Olímpicos de Tóquio despertou a ação de cibercriminosos para aplicar golpes relacionados ao evento

São Paulo – O início oficial das Olimpíadas de Tóquio nesta sexta-feira (23), acendeu o alerta para atividades que podem passar batidas no clima de festa esportiva: os crimes cibernéticos relacionados aos Jogos. Segundo a empresa de cibersegurança Kaspersky, ao menos quatro golpes diferentes estão circulando com alguma ligação à temática olímpica neste mês.

Com a decisão do governo japonês de manter os Jogos sem a presença de público, a preocupação em relação à coleta indevida de dados via redes Wi-Fi em estádios e ginásios deixou de ser uma preocupação. Entretanto, criminosos estão aproveitando o período para simular sites e produtos e atrair fãs do esporte por meio de links maliciosos.

Golpes relacionados às Olimpíadas já circulam na internet (Foto: Divulgação)

Um dos golpes é um “clássico” na entrada de malwares em computadores, segundo a Kaspersky: links piratas para assistir às provas no Japão. Muitos sites fornecem caixas de vídeo e promessas de transmissão gratuita com links que redirecionam para instalação de programas maliciosos, por exemplo.

Outra tentativa apontada pela empresa de cibersegurança é o surgimento de páginas falsas de comitês olímpicos, com formulários para acompanhar delegações e resultados. Nesses sites, a prática é fornecer um formulário para a vítima preencher com informações pessoais — a promessa é de acesso a conteúdos e brindes.

Entre os mais “criativos”, estão as plataformas que prometem um token oficial das Olimpíadas de Tóquio — para atrair colecionadores. Na descrição, essas plataformas se apresentam como oficiais e comercializam uma falsa moeda virtual. Segundo os sites, o dinheiro será revertido para uma associação de atletas.

“Os cibercriminosos sempre usam eventos esportivos populares como isca para ciberataques. Este ano, as Olimpíadas serão realizadas sem público – portanto, não esperamos muitos ataques relacionados. Ainda assim, observamos que os fraudadores não têm limites quando se trata de criar formas de tirar proveito. Por exemplo, o phishing que vende uma moeda virtual dos Jogos Olímpicos mostra que os cibercriminosos não estão apenas falsificando as iscas já existentes, mas também estão criando ideias sofisticadas e criativas”, comenta Olga Svistiunova, especialista em segurança da Kaspersky.

Para evitar cair em golpes desse tipo — ainda mais se você é um amante dos Jogos Olímpicos — a dica é sempre estar atento aos sites navegados e sempre procurar por fontes oficiais de informação — o Comitê Olímpico Internacional, por exemplo, possui seu próprio endereço, assim como o Comitê Olímpico Brasileiro.

É necessário, também, se atentar a URL (endereço do site na barra de navegação), procedência dos links e lembrar de nunca fornecer dados pessoais para sites de procedência duvidosa.

Anúncio