Projeto leva crianças a terem experiência em estação espacial

Estudantes brasileiros foram os primeiros do mundo a participar de parceria com o museu americano Smithsonian Air and Space

Rio de Janeiro – Alunos da rede municipal do Rio de Janeiro foram os primeiros estudantes do mundo a participar de uma experiência do museu Smithsonian Air and Space, dos Estados Unidos: por meio de realidade virtual, as crianças puderam fazer uma imersão em uma estação espacial.

Projeto leva crianças a terem experiência em estação espacial. (Foto: Divulgação)

A iniciativa é uma parceria do museu com o Projeto Experimente Cultura, que há 3 anos leva crianças de escolas da rede pública municipal e em situação de vulnerabilidade para conhecer museus e equipamentos culturais.

“Com a pandemia de Covid-19, as ações presenciais tiveram de ser adaptadas, passamos a pesquisar como os museus do exterior estavam se organizando e percebemos que era possível trazer os programas virtuais dessas instituições para as crianças brasileiras”, explica a curadora do Projeto Experimente Cultura, Renata Prado.

Uma proposta de parceria foi apresentada ao Smithsonian, que recebeu bem a iniciativa por ter como alvo um público carente, com pouco acesso à cultura e por se tratar de uma ação gratuita. “As crianças brasileiras foram as primeiras do mundo a participar da visitação a uma estação espacial usando a realidade virtual”, explica Renata.

Crianças e adolescentes das Escolas Municipais Osmar Paiva Camelo, do Complexo da Maré, Emma D’Avila de Camillis, de Pedra de Guaratiba, e Delfim Moreira, do Rocha, em uma visitação remota, puderam saber como é viver e trabalhar a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS – International Space Station).

Para que os estudantes pudessem participar, todo o equipamento para a conexão foi levado até a escola. Por meio de uma sala virtual, os educadores do museu apresentaram a instituição e a vida no espaço às crianças. Toda a aula contou com tradução simultânea. “Foram apresentadas as roupas espaciais, os objetos e os alimentos”, conta a curadora.

Por meio de realidade virtual, os estudantes puderam conhecer mais da sensação de estar em uma estação espacial. No final, um momento mais interativo de perguntas e respostas.

“A ideia é ampliar para outros museus, a pandemia mostrou que com a internet abre um universo de possibilidades, claro que a visita presencial aos museus é insubstituível, mas o online vai nos permitir ter uma interação maior com instituições de fora ou até mesmo mais distantes das comunidades”, conclui Renata.

Realizado pela Pulsar Cultura, o Experimente Cultura tem patrocínio do Grupo Assim e da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Cultura e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Anúncio